O meu filho é condicional! E agora?