Olá jovem Português de hoje, gostava de falar um bocadinho contigo para que me ajudasses a perceber um pouco como tu és e talvez juntos consigamos mudar a mente daqueles que tanto te querem proteger.

Claro que tu não sabes provavelmente, como eu se tivesse a tua idade também não quereria saber, mas recentemente foi noticiado aí pelos jornais e televisões deste país que um jovem como tu não podia, segundo uma certa editora, ter acesso à totalidade de um poema de Álvaro de Campos, pois as estrofes que retiraram teriam demasiadas referências sexuais e sobre pedofilia. E que, por isso, a tua cabeça poderia provavelmente ficar chocada com tais palavras.

De facto, quando o Fernando as escreveu sabia lá ele que eras tu que as ias ler tantos anos depois… E também de qualquer forma na altura dele também se dava aulas de outra maneira e com certeza as pessoas com 17 e 18 anos que estavam no teu lugar tinham outro tipo de maturidade a que tu não estás nem tens que estar habituado.

Bom jovem… Eu sei que muito longe de ti estão estas preocupações porque tirando a dois ou três colegas teus que têm mais interesse nas aulas, Álvaro de Campos está longe da tua lista de prioridades e desde que passes no final do ano, no exame de português, isso é o mais importante… De qualquer maneira não, o Álvaro não está no Instagram, nem no Facebook, nem fuma, ou conhece muitas raparigas, nem sabemos se ele vai ou não ao Urban. Por isso, percebo sinceramente que não te interesse nada estudar sobre ele…

Mas espero e gosto de acreditar que está ao alcance de um jovem português atual perceber que este autor foi e continua a ser muito importante para o teu país… Se é que ainda tens interesse nisso hoje em dia. Eu sei… Hoje em dia somos quase todos globais e essas coisas da nacionalidade passam-nos um bocado ao lado. Mas sabes? A língua que falas e que os teus filhos vão falar teve uma origem e é bom mantê-la para que não desapareça…

Jovem eu sei que é muita responsabilidade, mas sabes? Não que tenhas merecido muito a minha confiança… Porque sinceramente também não te conheço, mas cabe-te a ti um dia manter esta língua. E em alguns de vocês, quer acredites ou não, estão bastantes Álvaros de Campos, ou pelo menos estarão de certeza alguns dos figurantes das suas obras.

Repara, o texto que uma certa editora acha que tu não podes ler… Retrata, e nisto jovem vou ser sincera, realidades complicadas que existem no mundo, como a prostituição e a pedofilia. Coisas que sempre existiram e infelizmente sempre vão existir… Tal como a fome e pobreza são realidades inegáveis que mais tarde ou mais cedo terás conhecimento delas, quer por veres pessoas nessa situação, quer por seres tu próprio a passar por ela.

Não te desejo nada de mal jovem. Mas deves saber que o mundo nem sempre é o Instagram, nem a rua onde vives, nem a casa onde moras, nem um prato cheio de comida, nem a vida protegida que os teus pais te fazem acreditar que tens. Jovem! Vais fazer 18 anos! Ou já os tens… Nas próximas eleições podes votar, eleger novos governantes para o teu país, que vão trabalhar precisamente para tentar melhorar estas realidades mais tristes da vida… Jovem? Se ainda estiveres a ler… Pensa, achas mesmo que faz mal que um dos inúmeros poemas que estudas em português tenha referências de coisas menos agradáveis?

Jovem, tenho-te só a dizer isto…. Pensa lá um pouco, se fosses o Álvaro de Campos com a sua índole futurista, gostavas que te cortassem parte do raciocínio para proteger criancinhas que quer queiras quer não jovem, estás perto de deixar de ser? E mesmo que os teus pais e professores pensem o contrário, a sociedade irá mostrar-te as realidades da vida para as quais eles te estão tão fortemente a tentar proteger.

Será que precisas assim tanto de proteção?

Gostaste deste artigo? Clica aqui para leres mais no nosso blog!

Fonte da Imagem de Capa: Jornal i